OS CINCO MELHORES JOGOS PARA COMEÇAR SUA COLEÇÃO

OS CINCO MELHORES JOGOS PARA COMEÇAR SUA COLEÇÃO

    por -

    O mercado dos jogos de mesa está vivendo sua melhor fase. A quantidade e qualidade dos jogos disponíveis é impressionante, os lançamentos ocorrem em ritmo frenético, os financiamentos coletivos via Kickstarter ou Catarse viabilizaram que produtores pequenos ou independentes lançassem seus produtos e, mais importante, a cada dia este hobby ganha novos adeptos, o que é, ao mesmo tempo, causa e consequência dos eventos descritos acima. Muitos estão retomando um velho hobby, meu caso, afastado da mesas por mais de quinze anos, alguns estão saindo dos jogos eletrônicos cansados da repetição constante das mesmas franquias do mercado, outros estão ampliando suas raízes do RPG, pois com a vida adulta fica difícil manter um grupo fixo por campanhas longas, para não falar no tempo exigido de preparação… E, felizmente, tudo isso também acontece no Brasil! O público vem crescendo e a quantidade de jogos disponíveis já é capaz de deixar os novatos perdidos. E 2014 promete aumentar a lista de jogos lançados em solo nacional e em português consideravelmente.

    Como tenho o hábito de divulgar minhas sessões de jogo com meu grupo em todas as redes sociais possíveis, além de rodas de conversa e salas de aula, perguntam-me com frequência por onde começar, quais jogos comprar. Resolvi, pois, criar uma pequena lista de por onde o aspirante a board gamer deveria começar. Este é um primeiro Top Board, aguardem para as próximas semanas dicas dos melhores jogos para jogar com a família ou os melhores jogos para jogar com seu filho. Coloquei apenas board games, com tabuleiro mesmo e procurei uma certa variedade para a ludoteca inicial. Ah! Também estou prevendo a fúria de alguns que bradarão “como você não colocou o jogo X ou Y?”. Faz parte! Relembrando: todos os jogos desta lista estão disponíveis no Brasil e em nossa língua pátria, a ideia é facilitar. Antes de começar a jornada, quero avisar que não pretendo fazer um análise detalhada de cada jogo, apenas apresentá-los brevemente. Para reviews completos temos nossa seção Sobre a Mesa todas as sextas-feiras.

    Ticket to Ride
    Não estou sozinho nessa! A minha resposta imediata para a pergunta “qual jogo devo comprar primeiro” é Ticket to Ride. Nestes dez anos de seu lançamento, tornou-se um fenômeno de vendas, conquistou vagões de prêmios, incluindo o mais importante de todos do mercado de jogos de mesa, o Spiel des Jahres, prêmio alemão que significa Jogo do Ano, em 1994. Lançado no Brasil há poucos meses pela Galápagos Jogos, o jogo já começa chamando a atenção pelo visual. Um grande mapa dos Estados Unidos com várias cidades conectadas por rotas ferroviárias. Cada jogador compra cartas coloridas até juntar uma quantidade suficiente para cobrir as distâncias da mesma cor ou incolores. Mecânica super simples, sem texto, em meros minutos você ensina qualquer novato, de qualquer idade. A temática é altamente familiar e o jogo requer uma leve dose de estratégia que não espanta o iniciante e não entendia o experiente. Um clássico moderno que precisa estar na coleção de qualquer board gamer.

    Sessão de Ticket to Ride no On Board: duas cartas amarelas, para unir uma ferrovia de dois espaços amarelos! Simples!
    Sessão de Ticket to Ride no On Board: duas cartas amarelas, para unir
    uma ferrovia de dois espaços amarelos! Simples! (Foto On Board)

    Carcassonne
    Muitos consideram Carcassonne a melhor escolha e ninguém pecará em comprá-lo primeiro. Estamos falando do vencedor do Spiel des Jahres de 2001. Nosso colega de On Board, Fillipe Vieira, fez uma análise completa aqui. Lançado pela GROW, não é tão fácil de encontrá-lo em lojas físicas fora dos grandes centros, mas está disponível em vários sites de lojas de departamentos, livrarias e lojas especializadas. Procure por Domínio de Carcassonne, entretanto, nome ainda utilizado no Brasil. É a mesmíssima edição lançada lá fora com componentes muito bons. Todo mundo reclama que a caixa, comparada com a edição estrangeira, é grande e fina. É mesmo. Mas por setenta reais, adquirir um jogão deste pelo valor menor do que um jantar para dois em qualquer lugar é imperdível.

    Sessão de Carcassonne no On Board: o monge é a cara do ladrão!
    Sessão de Carcassonne no On Board: o monge é a cara do ladrão! (Foto On Board)

    Colonizadores de Catan
    Meu caro amigo, futuro board gamer, saiba que existe toda uma categoria de jogos chamada de euro games. Por que são feitos na Europa? Bem, a maioria! Mas este não é principal motivo. Se falamos em gerenciar recursos, temas econômicos e saber o vencedor só ao final da partida, estamos provavelmente falando de um jogo euro! Se tem madeira e pedra é jogo euro! Mas vamos falar sobre isso em um Dicas da Mesa futuro. Catan abriu as portas do mundo todo para esta categoria em 1995. Também levou o Spiel des Jahres! Na ilha fictícia de Catan, os jogadores precisam construir habitações, cidades e estradas, através de recursos coletados em uma mapa que muda a cada partida. Estes recursos podem ser trocados, inclusive entre os jogadores, aumentando a interação entre eles. Na faixa dos cem reais é um bom investimento para saber se este tipo de tema lhe agrada, mesmo havendo vários tipos de euros mais sofisticados e complexos hoje em dia no mercado internacional.

    Colonizadores de Catan, versão nacional pela Grow
    Colonizadores de Catan, versão nacional pela Grow

    Zombicide
    Este é o fenômeno do momento que pegou até os não board gamers. Agradeça a The Walking Dead e a toda moda zumbi. Particularmente são os mortos-vivos que menos me interessam, mas o que importa aqui é a jogabilidade, belas miniaturas, referências a símbolos da cultura pop em um clima bem videogame. Se é para falar em gêneros de jogo, este é um dos grandes representantes do ameritrash, termo pejorativo que ninguém liga para ele! Não são poucos os jovens que tem apenas Zombicide em sua coleção em meio aos seus jogos de Xbox e Playstation. Mas a semente está plantada. Se você adquirir os jogos acima, Zombicide será uma variação excelente no tema e ambiente. Aqui tem matança, armas inusitadas, correria e cooperação, um modo de jogo que muitos que não são do meio nem sabem que existe. Aqui são todos contra o jogo. É o modo co-op dos jogos eletrônicos. Uma dica: custa uma fortuna por causa da fama, até usado custa mais que o lacrado quando foi lançado no Brasil em 2013. A Galápagos Jogos anunciou que haverá reedição nos próximos meses pelo preço normal, na casa dos 260 reais.

    Zombicide: ameritrash de raiz! Se fosse euro os zumbis seriam cubos!
    Zombicide: ameritrash de raiz! Se fosse euro os zumbis seriam cubos!

    A Guerra dos Tronos The Board Game
    A posição mais difícil de preencher foi a última, pois deveria deixar todos os outros de fora. Este merece entrar aqui por ter muitos atrativos. Falei dele em detalhes em minha resenha aqui. Vamos lá… O momento é propício, todos comentam a série de TV, muitos leram ou estão lendo os livros e se você tem sangue nerd e tem, afinal está lendo um artigo em um blog de jogos de mesa, você é fã de Game of Thrones. Mas o principal motivo de colocá-lo aqui é ver o quanto você e seu grupo se adaptam e apreciam um jogo mais complexo. Desta lista, A Guerra dos Tronos The Board Game é o que mais exige cuidado nos detalhes, leitura minuciosa do manual, preparação inicial da sessão de jogo, todos elementos fundamentais para o futuro board gamer barra pesada. É, também, o que mais demanda estratégia, negociação e até traições no tempo certo, oferecendo elementos novos nesta nossa lista dos cinco. E o visual? É aquele jogo que você baterá fotos e causará inveja e curiosidade no Facebook e no instagram. Acredite, aconteceu comigo.

    Sessão de A Game of Thrones no On Board: instagram nele!
    Sessão de A Game of Thrones no On Board: instagram nele! (Foto On Board)

    Bom, caríssimos leitores, espero que tenha sido válida esta iniciativa e que muitos decidam começar sua coleção. Vocês perceberão que receber os amigos regularmente em casa, para uma boa sessão de jogo, conversa, risadas, comes e bebes é uma forma de lazer maravilhosa e sadia, além de aproximar as pessoas que muitas vezes só encontramos do outro lado de uma tela.

    Assista a uma versão mais completa e atualizada no nosso Top Board em vídeo:

    Abraços analógicos e até o próximo Top Board!

    Lucas Andrade (Lukita ou Meistre Lucas) "O Homem que se Espalha": A mente geradora da fagulha primordial responsável pela materialização do grupo. É ou foi professor de Matemática de todas as pessoas de gerações mais novas que conhece. É presidente e provavelmente o membro mais empenhado em idealizar novos projetos, iniciativas e firmar parcerias. Tente comer durante as partidas ou amarrotar a toalha oficial das mesas e verá despertar nele um tique nervoso capaz de tirá-lo de seu estado racional. O fato de ser adepto e precursor no grupo do modo de jogo intitulado por ele mesmo "Red Lukita vs. Blue Lukita" revela um aspecto esquizofrênico de sua personalidade. Não joga à vontade sem uma trilha sonora que remeta ao jogo que estiver à mesa. Outros interesses: ópera e música clássica em geral, quadrinhos da DC Comics, esportes americanos, séries de TV, clássicos do cinema.

    5 COMENTÁRIOS

    1. Que bom que o artigo foi útil. Se precisar tirar alguma dúvida é só entrar em contato. E fique de olho nos novos Top 5 que virão!

    2. Ótima Lista. Acabei de comprar o Catan. Será o primeiro de muitos. Queria agradecer vocês pelo ótimo trabalho, pois foi um dos que me ajudaram nesse hobbies. Já li inúmeras análises e continuarei lendo.

      Abraço.

    3. Lucas, muito obrigado!! Vai ajudar muito!!! Sou apaixonado por board games mas conheço apenas meia dúzia dos mais comuns. Aqui tem um cardápio completo. rs. Parabéns!!

    Deixe um Comentário