SOBRE A MESA: SPACE ALERT

SOBRE A MESA: SPACE ALERT

    por -

    pic384313_mdPrepare-se! Um destróier espacial mira seus imponentes canhões de raios gama direto para o seu flanco direito. Ao mesmo tempo, o computador lhe avisa que vocês entraram na trajetória de um meteoro de proporções intimidadoras. Como se não bastasse, os mísseis que você carregava com tanto cuidado resolveram “bugar” e agora viraram uma bomba relógio programada para aniquilar. Essa é atmosfera que você e seus corajosos colegas enfrentarão quando tentarem superar os desafios impostos em Space Alert, um jogo voltado para aqueles de coração forte e pensamento rápido. Todas as decisões são importantes, o tempo é curto e qualquer deslize pode levar você e sua tripulação a voar pelo espaço ao lado dos milhões de pedaços da sua, outrora, gloriosa espaçonave.

    Space Alert é um título de Vlaada Chvátil (saiba mais sobre ele aqui), ilustrado por Radim Pech e Milan Vavron e lançado em 2008, no qual os jogadores jogam como tripulantes de uma super avançada nave de pesquisa e exploração espacial. O tabuleiro representa a nave, dividida em dois andares e três seções: azul, branca e vermelha. Cada seção possui suas próprias armas, geradores, escudos, e outros apetrechos, como robôs de batalha, mísseis e computadores. O jogo é cooperativo, portanto, quanto mais conversa e coordenação entre os jogadores, maior a chance de sucesso. Mas não se engane, Space Alert não é para todos. Você pode se divertir dando muitas risadas enquanto vai descobrindo que algumas das suas desesperadas ações foram inúteis, e que, apesar dos seus esforços, sua nave virou uma grande pilha de pedaços flutuantes. No entanto, vencer…isso aí é outra história. Não que as missões sejam imbatíveis, mas o jogo depende de um certo aprendizado, um treino, para que você e seus colegas se acostumem a sua mecânica um pouco diferenciada.

    A gloriosa espaçonave à espera de uma equipe à altura.
    A gloriosa espaçonave à espera de uma equipe à altura.

    Vale aqui um aviso, se você acha que fazer aquelas missões de teste e de simulação é coisa para os fracos, pense de novo, ou verá seu erro só quando aquele enorme meteoro estiver atravessando o casco da sua nave como se fosse manteiga!

    Não indicaria para jogadores muito competitivos, que precisam vencer sempre, que sejam muito sérios, ou apegados ao perfeccionismo. Space Alert trata de uma certa confusão divertida, de ficar nervoso em agir rápido, em tentar comunicar direito as ameaças enquanto tenta achar na mão a carta certa para colocar no tempo certo. É para dar risadas, sim, distrair, reunir-se saudavelmente com os amigos, jogar cooperativamente e tentar vencer sabendo que nem sempre conseguirá, mas que mesmo assim será uma sessão memorável e agradável na mesa.

    Mecânica:
    – Programação de ações
    – Movimento de área
    – Cooperação
    – Manutenção de mão
    – Seleção de ações simultâneas

    Aqui você não precisa se preocupar com downtime, aquele tempo de espera enquanto não chega a sua vez. Todas as ações dos jogadores são simultâneas e isso tem um motivo. Space Alert é jogado com uma trilha sonora que determina o ritmo da partida, geralmente algo em torno de dez minutos para as missões normais, portanto não sobra muito tempo para uma análise profunda das coisas. Se pensar demais, já era! A trilha simula a voz do computador da nave informando aos tripulantes a chegada de ameaças externas ou internas. As ameaças podem ser de vários tipos: naves de guerra, fenômenos naturais, invasões de piratas ou mal funcionamento dos sistemas, por exemplo. Todas elas seguem um determinado caminho que descreve uma trajetória de aproximação que ameaça uma ou mais seções da nave.

    Basicamente o jogo se divide em duas etapas. A primeira etapa usa a trilha sonora e, a partir do que é descrito na trilha, algumas ameaças vão sendo reveladas e colocadas em trajetórias de aproximação. Os jogadores devem, então, programar o que vão fazer. Para isso, usam um certo número de cartas de ação que permitem ações e movimentos específicos e as colocam ocultas em um action board próprio, um pequeno tabuleiro marcado de 1 a 12, e que serve para determinar tanto a ordem quanto em que tempo aquela carta será ativada. Durante essa etapa nenhuma peça no tabuleiro precisa ser fisicamente movida, embora não haja nenhum mal em fazer isso, é que as vezes o tempo é tão curto que você simplesmente não consegue dar conta de tudo.

    A segunda etapa começa depois que a trilha sonora acaba. Aí os jogadores revelarão uma a uma as suas cartas, de acordo com uma ordem de resoluções previamente estabelecida, por exemplo: primeiro verifica-se se apareceu alguma ameaça, depois revela-se cada ação que os jogadores colocaram naquele tempo, agora sim, movendo todas as peças do tabuleiro conforme as ações são reveladas, se houve disparos, verifica-se se algum acertou um alvo e, por fim, as ameaças são resolvidas, o que geralmente significa que as ameaças vão se mover em suas determinadas trajetórias de aproximação, o que pode ativar alguns efeitos, como disparos contra a sua espaçonave.

    O modo de enfrentar todas essas ameaças é praticamente o mesmo: os jogadores devem mover-se pelos conveses da nave para apertar os botões certos nos lugares certos e no momento certo. Moleza? Nem tanto. Cada carta de ação conta com uma opção de ação e uma de movimento. Os movimentos incluem subir/descer, ir para a direita, ir para a esquerda. As ações incluem apertar os grandes botões do convés onde o tripulante estiver: A, B ou C. Como você só conta com um certo número de cartas, você já pode imaginar que nem sempre aparecem as melhores combinações. Nessas horas é preciso esperar por momentos certos na trilha sonora que permitem comprar novas cartas, receber ou trocar cartas com seus colegas. No entanto, a janela de troca de cartas é bem pequena. Quando você ouve o famigerado DATA TRANSFER. REPEAT. DATA TRANSFER IN FIVE, FOUR, THREE…você sabe que tem de correr! Não se preocupe, não é nada incomum ver um turbilhão de cartas voando de um lado pro outro nesse momento.

    Algumas das dezenas de ameaças feitas para destruir você
    Algumas das dezenas de ameaças feitas para destruir você

    Ah, mas se fosse apenas apertar botões… quando se trata de Vlaada Chvátil tudo é sempre um pouco mais complicado. Para que tudo funcione a nave precisa de energia, fornecida de forma não muito generosa pelos geradores principais e secundários. Canhões laser e escudos sugam energia destes geradores, portanto, é muito comum um jogador tentar efetuar um disparo e descobrir que não há energia suficiente disponível para isso (é uma nave de pesquisa e exploração sim, mas isso não quer dizer que vão te mandar para o espaço desconhecido completamente indefeso!).

    Pessoalmente, gosto muito de jogar dividindo tarefas, e para tornar a experiência mais lúdica possível, aceito a sugestão do manual e distribuo papéis aos jogadores com as respectivas atribuições: Capitão (Vermelho): responsável pela área vermelha da nave. Primeiro Imediato (Azul): responsável pela área azul da nave. Oficial de Comunicações (Amarelo): responsável por prestar atenção aos alertas do computador (na trilha sonora) revelando as ameaças que surgirem e comunicando aos demais tripulantes, responsável pela área branca da nave. Engenheiro chefe (Verde): responsável por reabastecer os geradores principal e secundários. Chefe de Segurança (Roxo): responsável por coordenar os esforços para eliminar ameaças internas.

    pic400648_md
    Os heróis relaxando enquanto a missão não começa

    Essa não é uma fórmula de sucesso, é claro, na verdade, não deve ser nem uma das melhores, mas tem funcionado bem por enquanto. Se você tem o jogo, deve ter criado o seu próprio sistema, se não, crie! É bem divertido. Ao dividir papéis, os jogadores se sentem mais importantes, mais cientes de quais cartas são mais úteis para ele e quais ações e movimentos são prioritários, além de se integrarem mais ao tema proposto pelo jogo. De qualquer forma vai sempre ser preciso adaptar seus movimentos de acordo com cada partida porque as coisas mudam bastante e você nunca sabe exatamente quais e em que lugar as ameaças vão surgir. Essa incerteza, creio, é o que mantém os desafios desafiadores (!) e as partidas mais tensas e divertidas.

    Considerações Finais:
    Space Alert vem com várias trilhas sonoras, diversas cartas que representam ameaças diferentes e várias trajetórias que estabelecem tempos diferentes de aproximação das ameaças. Todos esses elementos juntos já garantem muita rejogabilidade ao título. Além disso, é possível ajustar níveis de dificuldade, jogar no modo exploração e baixar novas trilhas, o que flexibiliza muito as partidas e dá grande fôlego pra quem pensa que pode se tornar enjoativo. Existe uma expansão oficial disponível, para ampliar ainda mais as possibilidades assim como as dificuldades e, se ainda não for o bastante, você pode baixar um aplicativo que cria missões randômicas (acesse aqui). No BGG existe uma versão feita por um fã, bem cotada, que reduz o tamanho da nave para facilitar jogos de 1 a 3 jogadores (confira aqui). Se você joga e acha Space Alert fácil, parabéns! Ainda estou treinando meu time para chegar a esse momento.

    Como muitos títulos de Vlaada Chvátil, a mecânica pode parecer um pouco estranha no início, mas se estiver atrás de um jogo divertido, estratégico, que envolva muito bem todos os jogadores da mesa e apresente um desafio grande e inovador, Space Alert é uma ótima escolha. Ao meu ver um dos melhores exemplares do gênero cooperativo que já joguei e um dos melhores jogos da minha coleção.

    10374937_795388640494087_72352248825707529_n
    Células de energia! Onde estão quando precisamos? (Foto On Board)
    10371621_795389347160683_1375109281747239875_n
    Aqui são colocados os comandos (Foto On Board)
    1525112_795388970494054_9156188103784903647_n
    Não é um show do Kraftwerk (Foto On Board)
    10402863_795390300493921_8068202167094998565_n
    “Espera! Não era para lá que eu tinha de ir?” (Foto On Board)
    10336729_795390717160546_6552341639803454010_n
    “Morre, maldito!!!” (Foto On Board)

    Pontos Positivos:
    – Temática bem ambientada
    – Manual bem descrito e bem humorado
    – Componentes de boa qualidade
    – Alta interação entre os jogadores

    Pontos Negativos:
    – Torna-se muito difícil quando jogado com menos de 4 jogadores.
    – A tensão e o estresse em agir rápido e corretamente pode afugentar alguns jogadores.

    Ficha Técnica:
    Jogadores: 1 a 5
    Idade: a partir de 13 anos
    Duração: 30 min.
    Tipo: caixa básica
    Fabricante/Desenvolvedora: CGE (Czech Games Edition)
    Idioma: Inglês
    Preço Médio: R$120,00

     

    7 COMENTÁRIOS

    1. Adorei! Já entrou para minha Wishlist. Preciso jogar isso.

      PS: Os textos de vocês são ótimos, mas podia rolar mais imagens.

    2. Aline, este jogo é incrível! Precisa ver o caos, todo mundo falando o precisa, aí tem horas que vem ruído na gravação e temos de ficar quietos, muito doido! Sobre imagens, verdade, vou colocar algumas de nossas sessões de jogo. Obrigado pelos elogios e pelas visitas!

    3. Obrigado pelas visitas e pelos comentários Aline, que bom que está gostando. Meistre Lucas já providenciou mais fotos, o cara é ágil ou não é? :))

    4. Também não jogamos com 2 ou 3, deve acumular muitas funções. Valeu pela dica dos vídeos, Igor, já vi dezenas e dezenas de seus vídeos, entretanto, estes do Space Alert ainda não havia visto! Não dou conta de ver tudo, hehe!

    5. Cara, seu texto ficou muito bom! Me deixou louco pra comprar o jogo, então fui atrás dele e tive uma triste surpresa: o preço médio que vc colocou como referência está um pouco abaixo do que tenho encontrado por aí =/

    6. Pois é, os preços mudaram muito de lá pra cá com o aumento do dolar e as taxas de importação. Realmente tá complicado. Além disso, a medida que o jogo vai se tornando mais raro os preços tendem a subir. Não sei se acha por menos de 200 hoje em dia.

    Deixe um Comentário