DICAS DA MESA: REGRAS DE ETIQUETA NA MESA DE JOGO

DICAS DA MESA: REGRAS DE ETIQUETA NA MESA DE JOGO

    por -

    DICAS ETIQUETA

    Então você está se interessando por esses tais jogos de tabuleiro modernos, ouviu falar de Zombicide, viu um ou outro jogo em alguma grande livraria nacional, seus amigos começaram a postar fotos no Facebook ou no instagram e tudo parece tão colorido, divertido e ao mesmo tempo desafiador e cult.

    A vida financeira do nerd não é fácil, entre videogames, quadrinhos, cinema e tantas outras coisas. Para o nerd adulto é pior, some ainda as contas da casa, família, filhos… Mas eis que antes mesmo de você gastar seu suado dinheirinho nerd em board games, algum destes amigos lhe convida para jogar, sempre com aquela conversa amistosa “não precisa se preocupar, a gente ensina” e “a galera é gente fina”. E você aceita! Parece uma boa ideia, conhecer mais sobre seu possível novo hobby sem gastar.

    Então aqui vão algumas dicas para você, aspirante a board gamer, vigiar para não fazer feio. Um Top 5 da etiqueta do novo jogador analógico. E se você, por outro lado, já é um board gamer experiente e não sabe como falar estas coisas para seu novo convidado, não se preocupe. Eu fiz o trabalho sujo. Sugira esta leitura para ele antes da sessão e depois não diga que não foram avisados!

    Não brinque com as peças ou cartas
    Na dúvida, considere que o dono do jogo e seu anfitrião é chato e muito cuidadoso. Estou escrevendo um Top 5 genérico. Se fosse dicas para jogar comigo seria um Top 452168412! Os jogos de mesa são, em sua grande maioria, feitos com muito papel e papelão, ou seja, materiais frágeis. Não entorte as cartas, não brinque com os dados e, acredito que você já deve ter passado da fase oral freudiana, não coloque meeples, discos, tokens ou qualquer coisa na boca enquanto pensa. Alguns jogadores só conseguem pensar se fecharem o circuito cérebro, lábio, mão! Evite isso, coloque as mãos no bolso, debaixo da perna, enfim! Se seu anfitrião for educado ele não falará nada, mas não estranhe nunca mais ser convidado!

    10300097_789256821107269_9174257820465401055_n
    Agricola: os discos laranja são vegetais e não, não são para comer! (Foto On Board)

    Não beba e não coma à mesa
    O que nos traz à próxima regra! Existe um jogo que você pode comer e beber à vontade enquanto joga, chama-se Par ou Ímpar! Nos outros, não! Na minha mesa de jogo a regra é clara, Galvão! NO bebida, NO comida! Amendoim japonês é permitido. Espere ver o comportamento dos outros do grupo. Se eles colocarem os copos próximos à área de jogo, tudo bem. Se não, não! Não venha com essa de “eu não derramo”! Você vai derramar! Pense na Lei de Murphy, que Deus não gosta de você, que você terá um espasmo! Mesmo com o copo longe da mesa, cuidado com os pingos no médio prazo. Tudo bem, sendo mais maleável agora, alguns jogos são mais toleráveis às bebidas, card games com sleeves, Zombie Dice, tudo bem. Mesmo assim fique de olho na toalha. Comida, não. Observe o comportamento do grupo e siga a liderança!

    Star Wars The Card Game: amendoim japonês e cartas com sleeves na minha toalha? Ok! (Foto On Board)
    Star Wars The Card Game: amendoim japonês e cartas com
    sleeves na minha toalha? Ok! (Foto On Board)

    Não trapaceie
    Muitos novatos sentam à mesa com a experiência apenas do Truco da faculdade e do Uno da casa de praia. Nestes jogos, vale passar a perna. Bom, se falar que não vale, não adianta. Entretanto, jogamos board games pelo desafio pessoal, tanto que não trapaceamos quando jogamos sozinhos. Se pretendemos gastar horas de nosso tempo livre concentrados, muitas vezes em jogos bem complexos, queremos testar nossas habilidades. Uma das lições mais importantes dos jogos de mesa é: não tente levar vantagem. Nisso envolve não olhar as cartas do vizinho, mesmo que ele seja descuidado, não deturpar regras a seu favor, não mentir se alguém acertar que você tem a Condessa na mão! Se o jogo for leve, trapacear soa pior ainda! Vale citar o manual de Love Letter, de onde foi tirado o exemplo da Condessa: “sugerimos não jogar com escudeiros que trapaceiam em jogos leves e divertidos”. Sem mais!

    Nosferatu: até em jogos de dissimulação a mentira é regulamentada. (Foto On Board)
    Nosferatu: até em jogos de dissimulação a mentira é regulamentada.
    (Foto On Board)

    Saiba ganhar e, principalmente, saiba perder
    Não é novidade escrever que o jogo diz muito sobre a personalidade de alguém. Comumente vimos o melhor e o pior de uma pessoa à mesa de jogo. Reclamar de tudo, comemorar exageradamente o tempo todo, zombar, humihar, são comportamentos reprováveis. Claro, depende muito de seu nível de amizade com todos na mesa, mas se for sua primeira partida com este grupo e com alguns desconhecidos, tente se conter. Conheça mais sobre cada um, quais seus limites e tolerância às brincadeiras, principalmente se você estiver perdendo. Não fique reclamando a cada rodada se o que você esperava fazer não foi possível ou foi feito por algum jogador anterior. Vez ou outra, tudo bem. Com um toque de humor, melhor ainda! E nunca, nunca abandone um jogo. Está levando uma surra descomunal? Tudo bem, você está aprendendo. Veja o que os outros estão fazendo, faça perguntas! Mas engula o choro e não ouse levantar dessa cadeira! Um jogador que sai no meio de uma sessão por motivo tolo, desequilibra totalmente a partida e deixa um clima desagradável para os que permanecerem.

    A Touch of Evil: Nada de xilique. saiba perder! Eu sei perder! Treino isto com bastante frequência! (Foto On Board)
    A Touch of Evil: Nada de xilique. saiba perder! Eu sei perder!
    Treino isto com bastante frequência! (Foto On Board)

    Você estará fora da área ou desligado!
    Não basta ver rodas de amigos lado a lado cada um com seu celular andando como zumbis pelas ruas. Ou casais em restaurantes isoladamente verificando suas redes sociais. Você foi convidado para um evento social, com pessoas de verdade! Esta é a MAIOR vantagem dos jogos de mesa: socializar. Nestes dias de casulos virtuais, reunir-se ao redor de uma mesa, com pessoas com voz e rosto é um acontecimento a ser celebrado e aproveitado. É, no mínimo, deselegante que enquanto espera sua vez você fique a cada rodada de olho no aparelho. Vamos usar o bom senso novamente? Esporadicamente é aceitável. Mas não passe a impressão que a vida atrás da telinha é mais interessante do que o que está acontecendo à frente de seus olhos. Bom, talvez para você seja mesmo e se isso acontecer, este será seu último convite.

    War of the Ring: o sinal de celular é muito fraco na Terra-média (Foto On Board)
    War of the Ring: o sinal de celular é muito fraco na Terra-Média (Foto On Board)

    Amigos leitores, espero que estas dicas sejam úteis. Mostrem para seus novos convidados! Se eles não souberem respeitar e valorizar o tempo e o dinheiro gastos por você neste hobby, haverá quem sabe!

    Abraços analógicos! E alguém, por favor, pode alcançar o amendoim?

    Lucas Andrade (Lukita ou Meistre Lucas) "O Homem que se Espalha": A mente geradora da fagulha primordial responsável pela materialização do grupo. É ou foi professor de Matemática de todas as pessoas de gerações mais novas que conhece. É presidente e provavelmente o membro mais empenhado em idealizar novos projetos, iniciativas e firmar parcerias. Tente comer durante as partidas ou amarrotar a toalha oficial das mesas e verá despertar nele um tique nervoso capaz de tirá-lo de seu estado racional. O fato de ser adepto e precursor no grupo do modo de jogo intitulado por ele mesmo "Red Lukita vs. Blue Lukita" revela um aspecto esquizofrênico de sua personalidade. Não joga à vontade sem uma trilha sonora que remeta ao jogo que estiver à mesa. Outros interesses: ópera e música clássica em geral, quadrinhos da DC Comics, esportes americanos, séries de TV, clássicos do cinema.

    15 COMENTÁRIOS

    1. Excelentes regras. Acrescentaria mais algumas: 1) não modificar regras durante as partidas; 2) se for para modificar as regras, que faça antes do jogo começar e com a concordância de todos; 3) se é um jogo cooperativo haja de forma cooperativa, ninguém ganha o jogo sozinho.

    2. Para mim, o principal é não comer ou beber à mesa. Isso é algo que realmente me deixa tensa.

    3. Boa! Jogo cooperativo tem desses problemas! Sempre é bom pensar em uma maneira de podar o jogador alfa!

    4. Nem me fala! O povo ri da relação que tenho com minhas toalhas de jogo e componentes! Mas a galera do meu grupo é mega cuidadosa!

    5. Pior que comer na mesa é o sujeito que tem mania de levar as peças e cartas à boca. Isso me irrita profundamente.

    6. Só não consigo concordar com a questão de consumo de bebidas. No meu grupo de jogos sempre há isso, refrigerantes são praticamente obrigatórios em todos os encontros (por isso somos tetudos). Lógico que os copos nunca ficam na mesma mesa que os jogos, mas abolir isso acho exagero, afinal não jogamos com crianças…

    7. Ah, mas a galera aqui bebe também! Até comprei um frigobar para a casa de jogos. Colocamos as latas em banquinhos ao lado e mandei fazer porta-latas customizados com nomes de vários jogos, hehe!

    8. Muito bom seu texto Lukita, parabéns!
      Já aconteceu cmg o caso da pessoa que nao sabia ganhar e perder, e alem de tudo gostava de se achar mesmo jogando a primeira vez o jogo fiquei muito irritado com isso, pena que eu era o novato na mesa nao pude falar nada mas é muito deselegante isso, pode espantar ainda mais pessoas que querem apenas se divertir sem compromisso.

    9. Exato. Infelizmente, existe. Ainda bem que aqui no On Board não temos isso. Somos adeptos da zoeira saudável!

    10. A realidade é essa mesma, lembro de um conhecido que derrubou coca cola no Zombicide, Estufou tudo!!!! kkkk, coitado!!!

    11. Olá Lucas, gostei demais do tabuleiro criado para o Nosferatu. Onde consigo um desse?

    12. Vou repassar TODAS essas dicas pros meus amigos.

    13. Sempre sirvo lanche. Em quase 30 anos de RPG e uns 10 de boardgames, zero acidentes. Só não tolero cheetos e congêneres pois sujam os componentes.

    Deixe um Comentário