SOBRE A MESA: DIXIT

SOBRE A MESA: DIXIT

    por -

    DixitgameDixit, lançado em 2008 e criado por Jean-Louis Roubira, coloca o jogador no papel de um contador de histórias (o narrador). Aqui a dinâmica envolve lidar com cartas na sua mão, “contar histórias” e votar. Embora simples, a abordagem poética e leve do jogo, bem como a mecânica inovadora, acaba revelando-se muito envolvente, garantindo uma experiência divertida e refrescante.

    É um jogo adequado para pessoas de todas as idades, e uma opção interessante para apresentar para a sua família. Não é indicado para jogadores hardcore ou fãs de wargame, embora um ou outro possa se apaixonar, a tendência é que esse tipo de jogador ache o jogo simples demais. A única exigência em Dixit é que você e seu grupo gostem, ou pelo menos se sintam confortáveis, com jogos que desafiem e trabalhem com a criatividade e a imaginação.

    As ilustrações das cartas (no tamanho tarot), criadas pela artista Marie Cardouat, favorecem o trabalho do narrador com cenas inspiradoras e oníricas. São 84 cartas na caixa básica e são, sem dúvida, um espetáculo à parte. Sua temática é diversa, a maioria contando com cores vivas e elementos ou situações fantásticas. Trazido para o Brasil pela Galápagos Jogos, vale mencionar que em 2010, Dixit foi agraciado com o Spiel des Jahres, o maior prêmio dos jogos de mesa modernos.

    dixit_cards
    Algumas das belas cartas

    Mecânica:
    – Seleção simultânea de ações
    – Votação

    A mecânica gira em torno das cartas, que são embaralhadas e distribuídas aos jogadores. Essas são mantidas em segredo e usadas para tentar arrecadar pontos que são representados por coelhos que percorrem uma trilha de pedras num bosque qualquer, desses dos contos infantis (bosques bem verdinhos e floridos).

    Dixit-Score-Track
    Corre Seu Coelho!!! Você está atrasado!!!

    Daí você pergunta, mas como se ganham os pontos? Bom, aí é que entra a parte central do jogo: contar histórias. A cada turno um jogador assume o papel de “narrador”. O narrador deve escolher uma de suas cartas, que contém ilustrações diversas e fantásticas e, sem revelá-la, diz em voz alta uma frase que tenha referência com a carta que ele escolheu. A frase pode ser tão grande quanto o jogador queira, ou apenas uma palavra, um som. Pode até ser uma música, trechos conhecidos, qualquer coisa. Essa parte é bem livre e o jogador deve se sentir a vontade para escolher o que vai dizer. É aqui que a criatividade é exercitada. Algumas vezes não é nada simples arranjar algo para falar sobre uma determinada ilustração, isso porque não basta falar qualquer coisa, é preciso tomar cuidado para não ser muito descritivo, não ser muito óbvio. Já explico o porquê.

    dixitt

    Depois que o narrador falou a sua frase (canção, poema, grunhido etc.), os outros jogadores devem procurar em suas mãos, em segredo, uma carta que possuem que mais se aproxima a essa frase, que melhor se encaixa ao que foi dito. Feito isso, todos passam as cartas escolhidas ao narrador que, ainda em segredo, junta-as à sua e embaralha todas. Depois de embaralhadas, as cartas são dispostas em fila na mesa e reveladas. As cartas são numeradas de 1 em diante (de acordo com o número de jogadores), da esquerda para direita. A tarefa de cada jogador agora é descobrir qual dessas cartas é a carta do narrador (o narrador não vota). Obviamente cada jogador saberá somente qual é a sua carta e, em posse de uma fichinha de votação, deve escolher secretamente o número da carta que deseja votar. Após todos votarem, os votos são revelados e o narrador pode mostrar qual era a carta dele.

    dixit_cards2
    Cada carta tem seu número. Se o narrador falou “Iluminação” em qual você votaria?

    Agora vamos aos pontos. Se todos os jogadores votaram e acertaram qual era a carta do narrador, ou mesmo se nenhum dos jogadores acertou, o narrador não ganha nenhum ponto! E para a tristeza do narrador, todos os jogadores, exceto ele, ganham 2 pontos cada. No entanto, se pelo menos algum jogador votou na carta do narrador, mas não todos, o narrador e os jogadores que acertaram ganham 3 pontos! Além disso, cada jogador que recebeu um voto de alguém na sua carta, ganha 1 ponto para cada voto. Pronto, é assim que os pontos são ganhos e os coelhos avançam!

    dixit_card2
    Hum, vejamos. Se eu falar “Casal jogando xadrez” estarei sendo muito óbvio?

    Como você pode ver não é tarefa tão simples ser o contador de histórias da vez. O jogador narrador deve dar uma dica boa o suficiente para algum jogador entender e votar na sua carta, evitando ser óbvio demais para evitar que todos os jogadores acabem votando nela. Um mínimo de empatia com algumas pessoas da mesa garante uma vantagem, afinal, se você souber que determinado jogador compartilha algumas referências culturais com você e outros não, pode ficar mais fácil dar uma dica que você sabe que aquela pessoa vai “sacar”, enquanto deixa as outras de fora.

    Depois que as pontuações são distribuídas, os jogadores compram carta nova e o próximo jogador na rodada assume o papel de narrador. Segue-se essa sequência até que o baralho de cartas acabe e o jogador com mais pontos seja determinado o campeão.

    Considerações finais:
    Dixit é um jogo muito fácil de ser entendido e aprendido. A parte bem-humorada depende muito do grupo e das dicas que cada jogador dá. A criatividade é quem manda aqui. Referências de filmes, livros, canções, seriados, são as coisas mais comuns que vem à tona.

    Como é um jogo simples pode acabar afastando jogadores que desejam maiores desafios e, como todo party game, sofre dependência do grupo para ser mais ou menos divertido. Tem uma taxa de rejogabilidade prejudicada por conta da sua dependência nas ilustrações das cartas que, após algumas sessões, podem se tornar muito “manjadas”, tornando cada vez mais difícil a tarefa de dar dicas sobre determinada imagem (dicas novas, pelo menos). Nesse sentido, se você joga muito Dixit, logo vai sentir necessidade de comprar as expansões para dar uma revigorada. A boa notícia é que existem várias delas.

    Pontos positivos:
    – Arte belíssima
    – Fácil de aprender, rápido e com uma mecânica inovadora
    – Totalmente visual, não necessitando leituras durante o jogo

    Pontos negativos:
    – Pode ser simples demais para alguns jogadores
    – As cartas tornam-se “manjadas” com o tempo, exigindo a compra das expansões
    – Não é para todos os públicos, pessoas que se julgam pouco criativas podem querer ficar longe desse jogo

    Ficha Técnica:
    Jogadores: 3 a 6
    Idade: a partir de 6 anos
    Duração: 30 minutos
    Tipo: caixa básica
    Fabricante/Desenvolvedora: Libellud / Galápagos Jogos
    Idioma: Português
    Preço Médio: R$ 129,90

     

    SEM COMENTÁRIOS

    Deixe um Comentário