SOBRE A MESA: KINGDOM BUILDER

SOBRE A MESA: KINGDOM BUILDER

    por -

    pic1152359_lgEm Kingdom Builder, os jogadores colonizam uma terra diversa e rica, expandem seus domínios, fazem seu povo prosperar adaptando-se aos mais variados tipos de solo e clima, a fim de desenvolverem a melhor economia para seu reino. Entenda porque esse jogo que traz uma imensa sorte de variáveis na sua jogabilidade a cada partida vai lhe fazer acreditar que nunca foi tão fácil construir seu próprio reino.

    O jogo foi lançado no ano de 2011 pela Queen Games e desenvolvido por Donald X. Vaccarino, mesmo criador de Dominion, jogo de 2008 com temática semelhante (desenvolver um reino) que revolucionou o cenário dos card games com a introdução ao sistema deck building. Kingdom Builder foi o vencedor do prêmio Spiel des Jahres (maior premiação do gênero) de 2012, ano seguinte ao seu lançamento. A temática é nada mais que uma mera roupagem a este euro abstrato e simples, mas que pode revelar-se altamente estratégico.

    Mecânica:
    – Controle de Área
    – Bloqueio de Áreas
    – Construção de Rotas/Conexões
    – Tabuleiro Modular

    pic1649981_md
    O sistema de Kingdom Builder foi desenvolvido para oferecer uma grande gama de variáveis no jogo. Devido ao fato de nem todos os componentes serem usados durante uma partida, o número de combinações possíveis faz com que o jogo seja diferente a cada vez que é jogado. Durante uma partida apenas quatro dos oito tabuleiros são utilizados para formar o mapa, que também é montado de forma aleatória, e apenas três das dez cartas Kingdom Builder definirão os objetivos principais dos jogadores para que alcancem uma maior pontuação no final (obtenham mais moedas de ouro). Para isso, os jogadores devem cumprir esses objetivos que consistem em dispor seus assentamentos de maneira a formar diferentes configurações pelo mapa. Temos os Pescadores, por exemplo, que concedem um ponto de vitória para cada um dos assentamentos dos jogadores que estejam adjacentes à água (rios/lagos) ao final da partida. Ou então os Mercadores, que concedem 4 pontos para cada ligação contígua entre localidades e castelos que o jogador conseguir formar, e assim por diante.

    pic1082933_md
    Exemplo de um dos tabuleiros que com outros três, formarão o mapa da partida

    O jogo é muito simples. No início de cada turno o jogador terá uma carta que deve ser jogada para definir em qual tipo de terreno no mapa ele poderá colocar seus três assentamentos (settlements) obrigatórios para aquele turno. Os terrenos possíveis para construção são: gramado, cânion, deserto, campo florido e floresta. Montanhas e lagos/rios não são habitáveis. O jogador deve sempre colocar assentamentos adjacentes aos que já possui no mapa, se isso for possível. Logo, no primeiro turno de cada jogador na partida, ele pode colocá-los no tipo de terreno indicado na sua carta, mas em qualquer parte do mapa que possua aquele tipo de terreno por não possuir nenhum assentamento em jogo naquele momento.

    pic1082923_md
    Cartas de terreno

    Essa é provavelmente a mecânica que acaba frustrando alguns jogadores que experimentam o título pela primeira vez. Há a impressão de que você está sendo forçado a jogar com a sorte, muitas vezes tendo que expandir seus domínios por caminhos não desejados. Fazendo um breve exercício lúdico, interpreto isso como a forma de expansão natural dos domínios do reino. Ele se expande pelas áreas mais propícias e acessíveis inicialmente, buscando novas e distantes terras quando uma oportunidade ou necessidade surge. No jogo, principalmente com o uso de ações especiais extras que são adquiridas em localidades espalhadas pelo mapa, o jogador vai estrategicamente criando essas oportunidades, de forma que ele possa escolher em qual área do mapa irá expandir seus domínios em um dado momento.

    pic1082926_md
    Cartas Kingdom Builder que servem como objetivos para os jogadores

    Cada tabuleiro (setor do mapa) possui hexágonos de localidades que conferem habilidades como ações extras para o turno do jogador. Ele adquire um dos dois tokens de uma localidade quando constrói pelo menos um assentamento adjacente à ela. Uma ótima estratégia é dominar essas localidades bloqueando todos seus espaços adjacentes, privando assim outros jogadores de obterem aquelas habilidades. Algumas dessas localidades conferem a vantagem de o jogador construir mais do que os três assentamentos obrigatórios do turno, colocando assentamentos adicionais em jogo, que devem respeitar a habilidade daquela localidade. O jogo termina após a rodada final que se inicia quando um dos jogadores coloca todos os assentamentos de sua reserva em jogo. Em seguida, as pontuações são contabilizadas de acordo com as três cartas Kingdom Builder que foram definidas no início da partida. Essas cartas acabam influenciando bastante a estratégia utilizada pelos jogadores. Além disso, para cada castelo onde o jogador tiver pelo menos um assentamento adjacente, ele recebe três pontos.

    Uma outra estratégia interessante seria o foco na obtenção de localidades que permitam ações de assentamentos extras. Isso transforma o jogo em uma corrida para determinar quem chama a última rodada do jogo ao usar seu último assentamento da reserva.

    1157387_701746033236014_6826147984217868797_n
    Kingdom Builder rolando em uma Big Board Night

    Considerações finais:
    Aqui é fácil construir seu reino porque, diferentemente de muitos euros que possuem toda uma macro gestão de recursos, você simplesmente utiliza-se de peças que vão da sua reserva diretamente para o jogo, aproximando-o muito mais de um formato abstrato.

    Kingdom Builder é um jogo leve de ensinar, pode ser apresentado para qualquer tipo de jogador. De fácil aprendizado, mecânica simples, mas que esconde em nuances seu grande valor estratégico. Os tabuleiros, tokens e insert, pela Queen Games, são de ótima qualidade.

    Pontos positivos:
    – Mecânica simples
    – Estratégico na medida certa
    – Grande variabilidade de jogo

    Pontos negativos:
    – Não aconselhado para jogadores que não gostam de jogos abstratos
    – O fator sorte, por vezes, pode ser determinante
    – A contagem da pontuação pode ser um processo complicado

    Ficha Técnica:
    Jogadores: 2 a 4
    Idade: a partir de 8 anos
    Duração: 45 minutos
    Tipo: caixa básica
    Fabricante/Desenvolvedora: Queen Games
    Idioma: Inglês (Independente de Idioma)
    Preço Médio: R$ 240,00

     

    Fillipe Vieira: Apenas um cara tentando encontrar seu caminho no emaranhado de ideias, sonhos e anseios que permeiam sua mente. Talvez um dia você se depare com algum jogo desenvolvido por ele. Quando esse dia chegar, é possível que esse cara tenha encontrado seu caminho. Interesses: séries de TV, cultura nerd em geral, vídeo games, ciência, história.

    ARTIGOS SEMELHANTES

    SEM COMENTÁRIOS

    Deixe um Comentário