ANALYSIS PARALYSIS: TICKET TO FIGHT

ANALYSIS PARALYSIS: TICKET TO FIGHT

    por -

    TTF

    Para quem não sabe, a Galápagos Jogos realizou neste dia 26 de novembro a pré-venda da edição do décimo aniversário de lançamento de Ticket to Ride. Uma versão estilosa, com caixa gigante, tabuleiro mais ainda, trenzinhos com esculturas distintas e coloridas, cartas com arte diferente, enfim, bastante frescura para quem, assim como este que escreve, ama o jogo. Ele não tem mecânicas ou regras novas, a expansão 1910 com novas opções de rotas até acompanha o produto, mas é o mesmíssimo Ticket to Ride que você deve conhecer.

    T2R-10th-box
    Caixa da edição especial.

    O anúncio da Galápagos na World RPG Fest em Curitiba de que traria trezentas unidades desta edição para o Brasil foi uma das várias surpresas positivas de sua conferência. (Assista na íntegra aqui) Eu estava lá e na hora as especulações internas relativas ao preço começaram. Meu primeiro pensamento: R$ 450,00! Pensei mais um pouco, ponderei a alta do dólar, o preço pedido lá fora, o valor que vi os colegas de hobby vendendo ou informando o quanto pagaram, mas também pensei na importação em maiores quantidades da empresa, um valor aceitável que precisaria ser praticado e cheguei no número mágico: 380! Esse foi meu palpite e, modestamente, tenho um bom histórico de acertos, porque acompanho diariamente lançamentos, vendedores nacionais, lojas estrangeiras e mercado paralelo. Em alguns casos, como As Lendas de Andor ou Race for the Galaxy, acertei na mosca, em outros fiquei na faixa dos dez por cento para mais ou para menos.

    Ao saber do preço de R$ 399,90 achei um valor bem aceitável. Eu não compraria, inicialmente, esta edição em 2014, fui de zero à sessenta jogos em nove meses, poderia dar uma aliviada no cartão de crédito, mas ao estar disponível em território nacional, sem o risco de esperar sabe-se lá quanto para chegar e com a certeza de ser taxado em quase oitenta por cento, resido em Santa Catarina e é quase nessa faixa que pagamos os tributos, não pensei duas vezes. Como fiz esta conta várias vezes ontem, não custa refazê-la aqui para os nobilíssimos leitores de nosso blog. Peguemos o valor do jogo lá fora, sessenta dólares. E estou pegando barato. Frete de cinquenta dólares, não vale diluir com outros jogos, dólar na faixa de R$ 2,50 e já temos aí R$ 275,00. Maravilha, mais de cem reais mais barato do que a Galápagos. Não sei vocês, mas nos últimos meses fui tributado em TODAS as minhas compras internacionais. TODAS! Meus exemplos favoritos são R$ 241,00 em uma caixa com Bruges e Suburbia e R$ 103,00 em um pacote com duas caixinhas de sleeves Dragon Shield e a expansão Suburcia Inc. Voltando à Ticket to Ride, vamos às taxas catarinenses, 77% para ser mais exato, e temos o valor de R$ 486,75. Como estou no clima de Black Friday, não basta ter colocado um preço baixo no jogo, no frete e no dólar, vou arredondar para 450!!! O Lukita tá louco, só hoje, mega feirão de jogos! Deu, calma, Lukita. Foco!

    tt_anniversary_img1
    Belíssimos componentes e tabuleiro gigante.

    Isto posto, paguei feliz pelos 399,90 no site da Galápagos Jogos. Estando já no Brasil, parcelando, sem ficar na expectativa de se perder mundo afora… Aí alguém pergunta “e o frete que você não incluiu?” e educadamente, apresento o cálculo acima e mesmo com o frete nacional estou na vantagem. E isso porque esqueci de dizer que a Galápagos é uma empresa, visa, pois, ao lucro e deve estar ganhando seus dez, vinte ou cinquenta reais em cima de cada unidade. Informação a qual não tenho acesso e não mudaria minha decisão. Não obstante, o inquisidor muda o tom da conversa e diz que não vale a pena pagar isso por um jogo que já existe em versão nacional muito mais barato. Gosto, neste caso, de apimentar, dizendo que já tenho tanto o jogo quanto a expansão que o acompanha!

    O que vale e o que não vale? Todo o debate gira em torno da valoração pessoal que atribuímos a certo bem ou produto. Não mais discutirei o caso específico de comprar aqui versus trazer de fora, matematicamente está provado qual o mais vantajoso. Repito, estou falando deste caso, desta edição. Se você não entendeu ou aceitou os valores acima, sugiro que assista a algumas aulinhas do Telecurso qualquer grau.

    Agora, se você está incomodado com o que este item representa e o quanto estou disposto a oferecer por ele, seu problema é muito mais sério. Estamos entrando uma esfera íntima de controle e juízo que pode passar por questões financeiras, políticas, sexuais ou religiosas. Ofender alguém que se propõe a pagar os quatrocentos reais deste Ticket to Ride está no mesmo nível de ignorância de humilhar alguém que votou no candidato A ou B nas eleições passadas ou menosprezar o modo de elevação espiritual alheio. Se você quer justificar a falência de todo um sistema por causa disso é mais sério ainda, pois além da visão deturpada, sua proposta é catequizar sua doutrina. Mas não vamos ampliar demais este texto. Voltemos à mesa de jogo.

    Quanto vale um Terra Mystica? (Confira nosso review aqui) O segundo jogo no ranking da BoardGameGeek e o melhor do mundo na minha opinião. Não estou falando do papelão, madeira, arte, design, impressão, transporte, lucro. Estou falando da experiência em estudá-lo, jogá-lo, rejogá-lo, analisá-lo, comentá-lo. Parece um cálculo muito mais complexo, não? De fato, não vamos calcular o inquantificável, a vida é muito curta para sequer tentarmos isso. Até porque para os ameritrashers fanáticos e exclusivos, este valor é minúsculo. Quanto vale um StarCraft: The Board Game, um dos mais caros no mercado paralelo? Agora estamos falando em oferta e demanda, escassez do produto. Em material gasto e lucro somados ele está muito além disso. Tem gente que compra? Certamente, senão não estaria neste valor. Ele é burro por isso? Não!

    pic265704_md
    Esse é encontrado facilmente na casa dos mil reais.

    Os jogos de tabuleiro vem subindo de preço nos últimos anos, isto é fato. Os custos de produção aumentaram, mas a demanda também aumentou. Estamos em um dos hobbys do momento. Em três anos, talvez, boa parte dos que hoje estão ao redor das mesas de jogo estejam fazendo e consumindo outra coisa. As empresas sabem disso e estão tentando aproveitar a boa fase lançando muito e em pouco tempo. Todas as áreas fazem isso. Ou você acha que o preço do peru aumenta em dezembro por quê? Ou que existem dezenas de tipos e sabores de panetones quando há anos atrás, com consumo menor, havia dois ou três?

    Claro que os especialistas board gamers da torre de marfim não querem que o hobby se popularize. Imagine o grande sábio que só joga coisas em alemão sendo cercado pelos pré-púberes fãs de Zombicide ou alguém jogando Dominion em Português? Blasfêmia! Amigos, sou fanático por música clássica, ópera em especial, sei o que é lidar com o pedantismo de muitos nos fóruns da vida e sei reconhecer quando ele se manifesta. Junte a isso aquela pequena parcela de aumento no valor dos jogos pelo aumento da demanda e os guardiões da sapiência lúdica ficam realmente fulos com os novos jogadores.

    tt_anniversary_img5
    Latinhas para os trenzinhos: os “idiota pira”!

    Percebam que o bombardeio vem de dois flancos. Os novatos que não conhecem o mercado criticam os idiotas como eu que pagam “caro” pelo Ticket to Ride, inflacionando o mercado, e os anciões da mesa de jogo que vêem em outros novatos, eu de novo, por estar retornando ao hobby após quinze anos, motivo do aumento de preços. Ou seja, a culpa é toda minha. Se eu aposentar os meeples, o mercado volta ao normal! Uau! Acabei de perceber isso. Ou não? Afinal, sou idiota, burro…

    Paguei 400 reais no Ticket to Ride ontem e, pasmém, achei bom o preço e isso é problema meu. Tenho mais jogos do que consigo jogar e isso é problema meu. Continuo comprando mais jogos e isso é problema meu. Tenho alguns que nem abri ainda e isso é problema meu. Mas sabem o que alguns fiscais da vida alheia têm mais do que eu? Eles têm mais de se…!

    NOTA: As opiniões dos autores da seção Analysis Paralysis são pessoais e não refletem, necessariamente, a opinião dos demais colaboradores do site.

    Lucas Andrade (Lukita ou Meistre Lucas) "O Homem que se Espalha": A mente geradora da fagulha primordial responsável pela materialização do grupo. É ou foi professor de Matemática de todas as pessoas de gerações mais novas que conhece. É presidente e provavelmente o membro mais empenhado em idealizar novos projetos, iniciativas e firmar parcerias. Tente comer durante as partidas ou amarrotar a toalha oficial das mesas e verá despertar nele um tique nervoso capaz de tirá-lo de seu estado racional. O fato de ser adepto e precursor no grupo do modo de jogo intitulado por ele mesmo "Red Lukita vs. Blue Lukita" revela um aspecto esquizofrênico de sua personalidade. Não joga à vontade sem uma trilha sonora que remeta ao jogo que estiver à mesa. Outros interesses: ópera e música clássica em geral, quadrinhos da DC Comics, esportes americanos, séries de TV, clássicos do cinema.

    5 COMENTÁRIOS

    1. Tbm moro em SC e seus cálculos pecam num detalhe: os 17% do ICMS estadual incidem sobre o valor já taxado pelos 60% nacional sendo assim não dariam apenas 77% e sim 87,2%. Já fui taxados várias vezes e conferi estes cálculos algumas vezes e ele esta correto. Assim os R$ 275,00 caso taxados seria em 275*0,872 = R$ 239,80 dando um total de absurdos R$ 514,80 bem mais caro que os 400 pilas da galápagos.

    2. Cara curti muito o teu post !!! Falou tudo o que eu queria falar e melhor! !! Parabens pelo blog

    Deixe um Comentário