SOBRE A MESA: THE HUNTERS: GERMAN U-BOATS

SOBRE A MESA: THE HUNTERS: GERMAN U-BOATS

    por -

    pic1720387_lgVamos apresentar um estilo de jogo diferente esta semana. Poucos conhecem os wargames, um dos gêneros mais antigos dos jogos de tabuleiro, famoso por partidas de muitas e muitas e horas de duração e extrema complexidade. Alguns títulos, no entanto, oferecem propostas mais simples para se conhecer este mundo. The Hunters: German U-Boats at War, 1939-43 é o jogo de maior sucesso da Consim Press. Lançado em 2014 com sua segunda impressão já esgotada em maio de 2015, seu sucesso foi tão grande que a empresa está para lançar outra versão com submarinos americanos chamada Silent Victory: U.S. Submarines in the Pacific, 1941-45 e está se preparando para a terceira impressão de The Hunters.

    A Consim Press é conhecida por somente lançar jogos estratégicos com a temática da Segunda Guerra. Adoro wargames nesse estilo e não conheço uma empresa que mergulhe tão profundamente na ambientação quanto esta. Estou falando de um wargame no sentido tradicional, Muito papel, tokens, tabelas, consultas e decisões difíceis.

    Mecânica:
    – Rolagem de dados
    – Simulação

    The Hunters insere toda a tensão de comandar um submarino alemão durante a Segunda Guerra Mundial. De acordo com o modelo escolhido, o jogador terá um número de patrulhas, com ou sem missões específicas, durante o período em que aquele submarino esteve mais atuante no conflito. Após isso, o jogador poderá mudar para um modelo mais moderno de embarcação e prosseguir com mais missões.

    Como capitão do submarino, você terá que determinar quais armamentos levará para suas patrulhas, escolher sua tripulação e qualificá-la, antes mesmo de sair do porto. Depois disso, ficará atento aos possíveis encontros no trecho que será patrulhado (ou roteiro a ser seguido para completar a missão); o submarino poderá ser abordado por uma aeronave patrulha, encontrar comboios, navios de carga desprotegidos ou navios escoltados. A cada encontro caberá ao capitão decidir atacar ou esconder-se para esperar uma oportunidade melhor. Tudo isso é determinado através de rolagem de dados e consulta a tabelas, mecanismo muito tradicional nos jogos de guerra.

    pic2580521
    U-921 termina sua primeira patrulha

    Não espere nenhuma moleza, a Consim Press só preza por uma coisa: fidelidade histórica ao cenário. Portanto, se você pensa que vai abordar um destróier ou afundar o Hood, esqueça! Outra coisa: nada de cartas ou tabuleiros. Miniaturas, nem pensar! O jogo se resume a fichas, tabelas e dados e visualmente ele não impressiona nem um pouco por isso. The Hunters é bem detalhista em outros fatores e o submarino pode ser “customizado” conforme suas preferências estratégicas. Mesmo trazendo uma lista histórica de ID´s de submarinos que realmente existiram e, aliás, traz muitas referências históricas para você tornar sua simulação o mais real possível, nada impede que o jogador crie a sua.

    encounter
    Tabela de encontros, uma das várias do jogo

    Outra coisa que o difere é que ele foi desenvolvido para uma pessoa. Isso mesmo, aquelas noites de solidão por não ter ninguém para jogar acabaram e seu tempo de duração é bem atrativo para partidas solitárias. Isso explica porque dei nota zero a sua interação. Apesar disso, o jogo traz regras para se jogarem com dois ou até mais jogadores, cada um teria de ter seu jogo, entretanto, e eles poderão formar os famosos Wolfpacks em partidas cooperativas ou jogarem em uma disputa por sobrevivência onde quem afundar maior toneladas em navios vence.

    Antes de falar em vitória, vale lembrar que após cada patrulha o jogador poderá contabilizar os navios inimigos afundados e verificar o quanto sua tripulação evoluirá com experiência. O próprio jogador também poderá receber condecorações que o ajudarão com bônus em suas missões. O que importa não é quantos navios foram afundados, mas o peso total deles e sua classe – caso algum felizardo consiga afundar uma Nau Capitânea.

    pic1867821
    Mapa criado por um usuário do BGG com várias tabelas já incluídas

    E a vitória? Bem, no jogo existem duas formas de se perder: quando o submarino é capturado pelos inimigos ou ao final da campanha o jogador não consiga afundar, pelo menos, 50.000 toneladas em navios. Aqui já vemos mais um cuidado com a história, os mais atentos aos detalhes se lembrarão de que os Aliados começaram a virar o jogo contra os Alemães após a captura de máquinas codificadoras que transmitiam as ordens e estratégias da Frota Alemã. Caso, ao final da campanha, você só consiga afundar entre 50.000 e 99.999 toneladas, é considerado que você cumpriu com suas obrigações na frota (uma forma de empate). A vitória, propriamente dita, é reconhecida se o jogador afundar mais de 100.000 toneladas em navios, mesmo que seu submarino também acabe sendo afundado para tal. Nessa situação, o jogador também recebe uma condecoração proporcional aos seus feitos e, se for o caso, você receberá uma condecoração post mortem.

    U-Boat Type VII

    O que dizem as regras quando seu submarino é capturado: “Você é uma desgraça para a Kriegsmarine, você e sua família. Considere uma carreira em terra após a guerra. Se seu U-boat foi capturado, você entregou uma máquina de criptografia e outros segredos nas mãos do inimigo, possivelmente sabotou toda campanha dos U-Boats.”

    Considerações Finais:
    Um trecho de uma frase que melhor resumiu a sensação deste jogo: “the Hunters is an extremely immersive solitaire game”. Em minha primeira patrulha, sofri para afundar o Alexander Macomb que estava sendo escoltado. Como fã dessa parte da história, corri para internet buscando informações sobre minha presa, não conhecia esse navio antes, mas perseguí-lo próximo às Ilhas Britânicas foi emocionante, adorei sentir-me parte da História, mesmo que de brincadeira. Para quem gosta MUITO de simulação, dos cenários da Segunda Guerra ou mesmo de combates navais e não aguenta mais aqueles “joguinhos” de navios da Idade Média ou de piratas, este jogo é perfeito.

    Infelizmente, poucos gostarão de sua proposta, como se ele fosse feito para um tipo específico de gamer, muito diferente dos party ou fillers que vendem tanto. Aqui se tenta levar a simulação a sério. The Hunters não é pra marinheiros de primeira viagem!

    Pontos Positivos:
    – Leve para os padrões de um wargame
    – Realista
    – Imersão ao tema
    – Versatilidade

    Pontos Negativos:
    – Tema pouco atrativo
    – Nenhuma interação
    – Mecânica se torna um pouco repetitiva com o tempo
    – Não há atrativos visuais

    Ficha Técnica:
    Jogadores: 1 (expansível para qualquer número usando as regras multiplayer)
    Idade: a partir de 12 anos
    Duração: 120 minutos
    Tipo: caixa básica
    Fabricante/Desenvolvedora: Consim Press
    Preço Médio: R$200,00

     

    Utamir Lins é o enviado aos fronts de guerra do On Board, recrutado recentemente para cobrir os conflitos em diversas eras, locais e realidades que acontecem em nossas mesas. Membro de várias agências de inteligência foi aconselhado a esconder seu semblante.

    7 COMENTÁRIOS

    1. Review simplesmente perfeito.
      Como irmão, sei o quanto Utamir gosta de Wargames, principalmente das batalhas marítimas que ocorreram na Segunda Grande Guerra Mundial.
      Abraço.

    2. Valeu, Urick! Fico feliz que a comunidade tenha gostado também! Grande abraço!

    3. Sou fascinado pelo tema 2° Guerra Mundial. Gostei muito do Review, confesso que fiquei muito interessado. Espero em breve adquirir um exemplar para minha pequena coleção.

      Parabéns pelo trabalho de vocês.
      Abraços

    4. Valeu, grande amigo e leitor assíduo, José Paulo! Grande abraço!

    5. Review bem bacana, pena que por mais que eu goste, sou uma negação em Wargames tradicionais.

    6. Já dizia Renato Russo: “É complicado estar só quem está sozinho que o diga…”
      Pelo visto essa frase não faz mais sentido, depois desse jogo, com a partida de duas horas sozinho…

    7. Felicidades amigo José, depois conte-nos de suas aventuras.

    Deixe um Comentário