SOUND BOARD: TRILHA SONORA PARA SPLENDOR

SOUND BOARD: TRILHA SONORA PARA SPLENDOR

    por -

    SB SPLENDOR

    Splendor chegando no Brasil é sinal que estará presente em muitas e muitas mesas. Como sempre, a polícia musical do On Board vem garantir o clima da sessão de jogo com a trilha sonora ideal.

    Muitos criticam Splendor por ser um jogo tematicamente fraco, eu mesmo falei sobre isso em meu review aqui. Convenhamos, se formos julgar alguns títulos clássicos por adequação ou força temática, o ranking do boardgamegeek sofreria um colapso. Não vamos esquecer que TODO jogo é abstrato, em graus diferentes, obviamente. Eu gosto de jogos abstratos que vêm disfarçados com tema ou pelo menos com uma pretensão de tema. Penso em Abyss e Viceroy como dois jogos recentes que se enquadrariam aqui.

    Bom, casquinha ou não, em Splendor trabalhamos na produção de jóias, desde a mineração, passando pela800px-George_Frideric_Handel_by_Balthasar_Denner lapidação e design das peças, até o efetivo transporte e comercialização. Tudo muito caro e chique. Os amigos sabem que minha primeira escolha para trilha é perguntar onde e quando a ação do jogo se passa. Estamos na Europa e, pelos trajes, algo em torno do século XV, XVI, ou seja, música renascentista seria a primeira escolha. O problema é que a grande parte dos jogos de tabuleiro se passa neste período e não queremos cansar nossos ouvidos, mas o problema maior é que a música da época não passa a sensação de sofisticação necessária.

    Avançaremos, pois, alguns anos, rumo ao barroco com a figura de Georg Friedrich “Aleluia” Händel. Nascido na Alemanha e radicalizado inglês é um dos nomes mais conhecidos desta escola musical ao lado de Johann Sebastian Bach e Antonio Vivaldi. Escreveu toneladas de peças, entre óperas, oratórios, concertos, cantatas…

    cover170x170Álbum: Handel: Concerti Grossi, Op. 6, Nos. 1-12
    [link para o álbum]

    Os Concerti Grossi foram escritos como interlúdios para as apresentações de seus oratórios. São peças para formação camerística pequena e ao ouvirmos alguns compassos já dá de sentir o cheiro da peruca branca e das meias até os joelhos. Fornece, pois, um clima de nobreza e aristocracia.

    Imagino a nobreza assistindo à estreia de alguma peça de Händel e, durante os intervalos, sendo visitada pelos nossos mercadores de jóias de Splendor com seus “catálogos” debaixo do braço, ao som dos Concerti Grossi de fundo. Pense naquelas vendedoras de biju na sala dos professores do colégio. Opa! Só acontece comigo? Desculpe!

    OUÇA UM TRECHO DO CONCERTO GROSSO EM SOL MAIOR, OP. 6, Nº 1, HWV 319, II – ALLEGRO:

    Outra, sou fã de Händel, meu compositor barroco favorito, e não quis desperdiçar a chance de usá-lo já que, como disse, nem sempre é fácil encaixar o barroco em trilhas para jogos. Vamos ouvir mais um trecho?

    OUÇA UM TRECHO DO CONCERTO GROSSO EM RÉ MAIOR, OP. 6, Nº 5, HWV 323, V – ALLEGRO:

    Mesmo anos distante, basta ouvir o trecho acima e olhar algumas cartas do jogo para perceber a adequação.

    Existem muitas gravações dos Concerti Grossi por aí, esta que escolhi não é tão renomada, mas muito honesta e correta na execução e contém os doze concertos. Dei preferência a ela, pois é comum que Splendor seja jogado com três, quatro partidas em sequência e não quero que os mesmos trechos sejam repetidos a cada sessão. Para finalizar, digo que minhas playlists devem sempre ser ouvidas no modo aleatório, o TOC aqui não permite isso desta vez, pois são movimentos distintos de um mesmo concerto. Vocês, no entanto, ouçam como preferir, claro!

    PLAYLIST SELECIONADA:

    Abraços analógicos!

    batman

    Lucas Andrade (Lukita ou Meistre Lucas) "O Homem que se Espalha": A mente geradora da fagulha primordial responsável pela materialização do grupo. É ou foi professor de Matemática de todas as pessoas de gerações mais novas que conhece. É presidente e provavelmente o membro mais empenhado em idealizar novos projetos, iniciativas e firmar parcerias. Tente comer durante as partidas ou amarrotar a toalha oficial das mesas e verá despertar nele um tique nervoso capaz de tirá-lo de seu estado racional. O fato de ser adepto e precursor no grupo do modo de jogo intitulado por ele mesmo "Red Lukita vs. Blue Lukita" revela um aspecto esquizofrênico de sua personalidade. Não joga à vontade sem uma trilha sonora que remeta ao jogo que estiver à mesa. Outros interesses: ópera e música clássica em geral, quadrinhos da DC Comics, esportes americanos, séries de TV, clássicos do cinema.

    2 COMENTÁRIOS

    1. Meu Deus! Achei um cara que adora jogos e música clássica!
      Pensei que estava sozinho no mundo! Obrigado, Senhor, Obrigado! rsrsrs.

      Brincadeiras à parte, agradeço de verdade o trabalhão que vocês tem para nos dar todas as ferramentas, dicas, sugestões, análises, informações e até trilhas sonoras! Tudo de graça, de lambuja, na mamata do mamãozinho com açúcar pra nós! Tal como maçãs de ouro em salvas de prata.

      Comecei o hobby esse ano. Sempre adorei jogar. De tudo. Tabuleiros, cartas, videogames. Mas fazia tempos que eu não sentava pra jogar tabuleiro porque eu era escravo da Grow e da Estrela. Estava completamente abusado dos jogos do mercado.

      Sou músico clássico de formação e profissão. E um dia vi, no trabalho, entre uma nota musical e outro, um amigo pianista folheando o manual de 7 Wonders.

      Pronto. De lá pra cá, pra encontrar vocês aqui, foi um clique.

      E agora vou jogar todos os jogos modernos com trilha sonora especializada, de excelente bom gosto e escolhida a dedo pra completa e total imersão.

      Bravo, Lukita. Bravíssimo!

    Deixe um Comentário