JOGOS PARA JOGAR COM CRIANÇAS PARTE 1

JOGOS PARA JOGAR COM CRIANÇAS PARTE 1

criancas1

Com frequência tenho me deparado com pedidos de dicas de jogos para crianças nos grupos do Facebook. Sempre que possível, procuro responder dando algumas dicas em função da minha experiência com as minhas filhas.

Elas têm hoje 9 e 11 anos, mas conhecem os jogos modernos desde os 6 anos e meio e 8 anos e meio. Antes disso, jogávamos os jogos tradicionais que encontramos em todas as lojas de brinquedos: Cara a Cara, Clue Jr., Monopoly Jr., Candy Land, Jogo da Mesada e tantos outros. Acho que esse início foi importante, afinal são jogos que todas as crianças têm e na escola ou na casa dos amigos são esses os disponíveis. Independentemente do jogo, o mais importante é se criar o hábito, ensinar as regras às crianças, o fato de que nem sempre se ganha e saber se comportar quando isso acontece. Quando, finalmente, comecei a comprar jogos modernos, minhas escolhas de jogos a serem adquiridos sempre foram pensando em quais eu poderia jogar com elas, independentemente da indicação de idade sugerida. Jogos com poucas regras, sem dependência de idioma, temas interessantes e que eu pudesse jogar com meus amigos também.

No artigo de hoje, elaborei uma lista dos jogos que considero interessantes para serem jogados com as crianças. Considerei tanto jogos específicos para o público infantil quanto para os adultos e que podem ser jogados pelos pequenos. Listei somente os jogos lançados aqui no Brasil. Alguns deles podem não estar disponíveis no mercado atualmente, mas é possível encontrar para vender de particulares. Para uma melhor organização, os jogos estão separados por editora.

A princípio eu tinha pensado em fazer um resumo de como é cada jogo, mas acredito que a maioria dos leitores daqui já tenha esse conhecimento. Por isso procurarei discorrer brevemente sobre como foi jogar com as minhas filhas. Somente quando acabei de escrever o texto completo que consegui ter a dimensão do volume de jogos já lançados. Ao todo foram 50 indicações de jogos que joguei com as minhas filhas e mais 39 jogos que ainda não tivemos a oportunidade de jogar. Por isso dividimos esse artigo em duas partes. Nessa primeira, listo os jogos da Grow e da Galápagos Jogos.

Apesar da GROW não ser uma editora exclusivamente de jogos modernos, ela tem lançado alguns clássicos, que são ótimos para iniciantes, crianças e adultos.

COLONIZADORES DE CATAN – Esse foi o primeiro jogo moderno que as minhas filhas jogaram, ainda quando tinham 6 e 8 anos. Definitivamente, no início, a dinâmica das trocas é totalmente diferente se jogado com adultos. Dificilmente é possível dizer não para trocar alguma carta com elas (ainda mais quando o avô está na partida!). Claro que nos momentos de escassez de algum tipo de matéria-prima para todos os jogadores elas têm que entender e respeitar se alguém não quiser trocar. A mais velha logo percebeu o benefício de se ter mais cartas de cavaleiro para ganhar o bônus de 2 pontos de vitória. A idade sugerida é a partir de 10 anos, mas conforme falei acima, minha filha mais nova começou a jogar quando tinha 6 anos e meio.

AVE CAESAR Jogo comentado em minha segunda coluna aqui no Meeple Maniacs, Maratona de Domingo. A idade sugerida é a partir de 12 anos, mas acredito que com 8 ou até menos já é possível jogar.

PUERTO RICO Puerto Rico já é um jogo um pouco mais elaborado, mas crianças mais velhas e que já tenham experiência com outros jogos modernos podem dar conta de jogar. Talvez a grande dificuldade dos adultos ao jogarem com as crianças é não se aproveitar demais das escolhas de funções feitas por elas. Em Puerto Rico a escolha de uma função pesa demais na estratégia dos jogadores e de início as crianças não terão condições de avaliar qual a melhor opção a se escolher, que lhe beneficie e não ajude demais os jogadores seguintes, em especial ao que está à sua esquerda. A idade sugerida é a partir de 12 anos, mas vai da experiência da criança com outros jogos de tabuleiro.

TESOURO INCA Dos renomados designers de jogos, Bruno Faidutti e Alan R. Moon, Tesouro Inca é um jogo bem simples, de “press your luck” (force a sua sorte). O jogo é divertido, pode ser jogado com as crianças, mas não fez tanto sucesso aqui em casa. A idade sugerida é a partir de 8 anos, mas é possível se jogar com menos.

COLORETTO Jogo de cartas sempre fazem sucesso. Apesar de termos jogado poucas vezes, é um jogo bem interessante, e o preço ultra acessível é definitivamente um bônus. A idade sugerida é a partir de 8 anos, mas é possível se jogar com menos.

A GROW também lançou o jogo RUMMIKUB, que eu só ouvi coisas interessantes a respeito, mas nunca joguei e nem as meninas. O que me chamou a atenção nesse jogo é ele ser muito parecido com mexe-mexe (jogo de cartas) que sempre gostei de jogar. Além de lidar com números, que é sempre interessante para as crianças aprenderem brincando.

GALÁPAGOS JOGOS é hoje a maior editora de jogos modernos no Brasil, com a incrível coleção de mais de 50 jogos lançados. Listo alguns abaixo que tenho na minha coleção e são ótimos para jogar com as crianças, e com os amigos. Alguns deles se encontram esgotados, mas é possível encontrar em algumas lojas ou com vendedores particulares.

TICKET TO RIDE – Por enquanto foi lançado no Brasil o TTR com o mapa dos Estados Unidos/Canadá, a Edição de Aniversário e o TTR Europa, particularmente o meu favorito. Esse foi o terceiro jogo que apresentei às meninas. Um jogo simples, divertido para a família toda. Crianças a partir de 6 anos já tem condição de jogar, mas provavelmente precisarão da ajuda de um adulto para lhes mostrar as rotas dos objetivos. Aqui em casa foi assim. A Nina tinha 6 anos e meio quando começamos a jogar, e além da idade, o perfil dela pedia uma ajuda a mais não só para mostrar as rotas, mas também lembrar durante a partida os trechos que precisavam ser conquistados. Inevitavelmente minhas próprias rotas eram afetadas, pois sabendo das dela eu evitava prejudicá-la. Outra dica que sugiro ao jogar com as crianças é ficar com todos os objetivos, não descartando nenhum. Até hoje eu jogo dessa forma, impondo uma dificuldade a mais para mim. Já tive inclusive oportunidade de jogar com filhos de amigos que não tem a vivência com jogos modernos e foi um sucesso. A idade sugerida é a partir de 8 anos, mas conforme coloquei acima, é possível começar antes, entre 6 e 7 anos.

7 WONDERS – Esse foi o segundo jogo moderno que minhas filhas jogaram. Adquiri 7 Wonders em janeiro de 2014 em conjunto com diversos outros jogos. Vários deles escolhidos para jogar tanto com elas quanto com os amigos. Eu comentei sobre ele em minha segunda coluna, Maratona de Domingo. Vale a pena ler as minhas impressões. A idade sugerida é a partir de 10 anos, mas é possível começar antes, entre 6 e 7 anos, como a minha filha mais nova.

LOVE LETTER – Jogo de cartas, para até 4 pessoas, rápido e divertido. As minhas filhas adoram, e acredito que esse seja de longe o jogo que mais jogamos aqui em casa. Dá para levar em qualquer lugar (restaurante, avião, carro). No momento ele está esgotado, mas eu cheguei a dar vários de presente de aniversário para amigos das minhas filhas. A única ressalva que eu faço é quanto ao manual que achei bem mal escrito. A idade sugerida é a partir de 10 anos, mas acredito que crianças de uns 7 anos de idade possam jogar também.

TIMELINE – Jogo de cartas de 2 à 8 jogadores. O jogo é bem interessante, e crianças de 8 anos já podem jogar. É possível mostrar à elas como fazer associações conforme o desenho, ou com outros eventos para tentar descobrir a data aproximada. No momento o Timeline foi lançado com dois temas diferentes, diversidades e invenções. A mistura entre crianças e adultos pode num primeiro momento parecer desleal, mas não se enganem, porque eu já perdi diversas partidas para minhas filhas. (e olha que eu não sou tão ruim assim não!). Já perdi a conta de quantas unidades de Timeline eu já comprei para dar de presente. A idade sugerida é a partir de 8 anos.

HISTÓRIAS – Mais um jogo de cartas, onde cada uma tem uma imagem diferente em cada um dos lados. O jogo tem uns quatro modos diferentes para se jogar, todos envolvendo criação de histórias, seja em grupo, seja individualmente. Excelente para crianças de todas as idades, principalmente no que diz respeito à imaginação. Aqui jogamos poucas vezes, por estarmos apenas em 3. Acredito que com mais crianças o jogo fique mais divertido. Como ele é totalmente visual, mesmo as crianças pequenas podem jogar. A idade sugerida é a partir de 8 anos, mas definitivamente é possível jogar com qualquer criança que já tenha um certo vocabulário. Pode, inclusive, ser uma forma de ensinar às crianças novas palavras.

HANABI – Recebeu o conceituado prêmio Spiel des Jahres de 2013 (melhor jogo do ano), do mesmo designer de 7 Wonders, Antoine Bauza. Outro jogo de cartas, mas dessa vez é um jogo cooperativo. A ser jogado por 2 a 5 jogadores. O jogo não é fácil, mas o conceito de jogo cooperativo é excelente para crianças, e tira um pouco as crises que por ventura possam ocorrer quando alguém perde. Só não tente levar muito a sério o jogo, porque inevitavelmente as cartas caem daquelas mãos pequenas e gordinhas (algumas vezes sem querer, outras propositalmente!) revelando informações para quem não devia saber. A idade sugerida é a partir de 8 anos.

KING OF TOKYO – Um ótimo party game, super divertido. Esse foi o primeiro jogo que eu tive a felicidade de ver as duas jogando sozinhas por livre escolha. Detalhe, a nossa cópia é em inglês, pois comprei um pouco antes da Galápagos lançar no Brasil. Então elas vinham me perguntar o que estava escrito nas cartas, mas às vezes já deduziam por se lembrarem delas em jogos anteriores (não necessariamente da forma correta!). Ele pode causar certo incômodo porque ele tem eliminação de jogadores, principalmente se a partida se estender muito após a eliminação de uma criança. A solução pode ser chamá-la para jogar junto com alguém, afinal, a intenção de se jogar é para todos participarem. A idade sugerida é a partir de 8 anos.

DIXIT – Eu particularmente não gosto muito desse jogo, pois em geral ou sou muito óbvia, ou muito obscura, o que não é nada bom. Mas aguardo uma oportunidade para jogar com as minhas filhas, pois acredito que possa ser bem interessante para elas. A idade sugerida é a partir de 8 anos.

DOBBLE Lançado recentemente, é um jogo voltado para o público infantil. Jogamos algumas vezes nesse último mês, inclusive com outras crianças também. O jogo é bem divertido. Só não comprei ainda porque achei o preço um pouco salgado para um jogo tão simples e pequeno. E não estou reclamando do preço do Brasil não, porque na Europa estava o mesmo preço daqui. A idade sugerida é a partir de 7 anos, mas crianças menores de 4 ou5 anos podem jogar.

SMALL WORLD Mais um jogo que comprei pensando em jogar com as minhas filhas. A mais velha foi quem mais gostou. É um jogo interessante para as crianças começarem a tomar contato com a mecânica de controle de área sem ser demasiadamente estratégico. Faço um paralelo aqui com o El Grande, que também se utiliza dessa mesma mecânica e nesse caso a idade faz diferença sim, ao contrário do Small World onde é possível elas ganharem. O Small World tem regras simples, e a diversidade de combinações dos diferentes personagens e habilidades torna não só o jogo dinâmico, como a escolha dos personagens pode ser um fator determinante na vitória do jogador. Talvez as maiores dificuldades sejam exatamente essa da escolha do personagem e o momento de se entrar em declínio. A idade sugerida é a partir de 8 anos.

SPLENDOR Jogo muito badalado na ocasião da sua indicação ao Spiel des Jahres em 2014, mas acabou perdendo para o Camel Up. Eu gostei de cara da ideia do jogo e o fato de não depender do idioma foi um fator determinante para comprá-lo, dado que na ocasião ainda não tinha sido lançado pela Galápagos aqui no Brasil. De fato foi uma ótima aquisição, pois as meninas gostaram de jogar e não houve nenhuma dificuldade. A não ser pelo modo peculiar da Nina jogar, ao reservar cartas de nível 3 muito no início e ficar segurando as pedras preciosas necessárias sem antes desenvolver as mais fáceis. Obviamente acaba afetando o jogo de todos, pois algumas vezes ficamos com uma menor oferta de certa pedra preciosa. A idade sugerida é a partir de 10 anos, mas é possível jogar com crianças já a partir de 8 anos.

TAKENOKOAs ilustrações, o tema, as pecinhas e miniaturas definitivamente chamam a atenção de qualquer criança. Aqui em casa não foi diferente, embora no início elas não tenham se empolgado tanto como eu esperava. As regras são simples (só não posso ensinar errado, ops!) e o tabuleiro do jogador foi muito bem pensado, mas ainda assim não foi um jogo que elas tenham se destacado. Na maioria das vezes eu fiquei em primeiro, mas ainda não consegui identificar qual seria a dificuldade delas. A idade sugerida é a partir de 8 anos.

TOKAIDO Jogamos Tokaido pela primeira vez num encontro de jogos de tabuleiro em São Paulo. Mais um jogo que se encaixa no combo campeão, lindo, regras simples e sem dependência de idioma. Definitivamente entrou na minha lista para aquisição naquele dia. Como jogamos com outras duas pessoas não pude ajudar muito as meninas, explicando e relembrando as regras durante o jogo. De qualquer forma eu achei muito positiva a experiência delas jogarem num evento com outras pessoas e não somente comigo ou com meus amigos que já estão acostumados com as duas. Adquirimos o jogo em nossa última viagem e ele já foi imediatamente para a mesa. De primeira elas já pegaram as regras, e todas as possibilidades de pontuação, utilizando uma ou outra de forma mais evidente conforme a partida. A idade sugerida é a partir de 8 anos.

ELDER SIGN Apesar de ainda não ter jogado com as minhas filhas, joguei com a sobrinha de uma amiga, que tem a idade parecida com as minhas. Como Elder Sign é um jogo cooperativo, as crianças podem jogar sem problemas, e definitivamente é muito divertido todo jogo que envolve dados. Como qualquer outro jogo cooperativo é preciso achar um equilíbrio entre os jogadores para que ninguém se sobressaia em detrimento dos outros. Jogando com crianças isso fica mais difícil e é preciso se controlar e deixá-las tomar as suas próprias decisões, ainda que você não considere a melhor opção. No caso específico dessa partida, só ganhamos porque a sobrinha da minha amiga conseguiu tirar na última chance a combinação necessária nos dados. A idade sugerida é a partir de 14 anos, mas eu acho que é possível jogar com crianças com 8 ou mais.

QUARRIORS Tivemos somente uma experiência com esse jogo, que foi positiva, mas aparentemente não chamou tanto a atenção das minhas filhas, por isso esse jogo ainda não voltou para a mesa. Como o meu exemplar está em inglês (novamente comprei antes da Galápagos ter lançado no Brasil) isso pode ter dificultado um pouco. Apesar das cartas ficarem abertas na mesa, eu tinha que ficar relembrando o que cada uma fazia. Uma dica para esses casos é imprimir os paste ups com a tradução em português, o que eu não fiz por preguiça mesmo! A idade sugerida é a partir de 14 anos, mas eu acho que é possível jogar com crianças com 8 ou mais.

SUMMONER WARS Essa foi a minha primeira decepção ao apresentar um jogo para as minhas filhas. Eu tenho o Master Set em inglês, mas comprei dois decks lançados pela Galápagos para poder jogar com elas. Infelizmente a Dora não curtiu e nem acabamos a partida. Como isso foi há uns 2 anos atrás, acredito que mais para frente eu possa tentar novamente e ver se elas gostam do jogo. De qualquer forma, isso não significa que não se possa jogar com as crianças. Como já falei algumas vezes, cada uma é de um jeito, e não necessariamente elas vão gostar de todos os jogos da mesma maneira. A idade sugerida é a partir de 9 anos.

WARZOO Jogo do designer brasileiro Fel Barros. O motivo que me fez entrar no financiamento coletivo desse jogo foi ele ter um modo infantil. Achei muito interessante você ter essa opção no jogo, de poder começar com regras mais simples e ir aumentando a dificuldade conforme a criança for se familiarizando com o jogo. A idade sugerida é a partir de 8 anos.

ZOMBIE DICE Um jogo de dados bem simples, que qualquer criança pode jogar. Ótimo para ocasiões quando não se tem muito tempo para jogar, ou as crianças não estão afim de algo mais elaborado. A idade sugerida é a partir de 10 anos, mas com certeza pode-se jogar com crianças a partir de 7 anos ou até menos.

Além desses jogos tem outros da Galápagos que podem ser interessantes, mas que ainda não tive oportunidade de jogar com as minhas filhas, como o Smash Up, Concept, Mice and Mystics, Star Wars X-Wing, Flick ’Em Up, Zombicide, Citadels, Krosmaster Arena entre outros.

Na segunda parte temos os jogos da Funbox, Conclave, DEVIR, Ace Studios, Fire On Board, PaperGames, Ludofy, Copag e MS Jogos.

Desde a infância os jogos de tabuleiro estiveram presentes na família de Mariana ("Tipo War?" Sim, tipo War). Quando seus pais e amigos jogavam baralho, Mariana ela era usada como coringa, para cobrir quem precisasse se ausentar da mesa. Com 14 anos, finalmente ganhou um novo status e lugar permanente. Sempre muito competitiva, não entra em um jogo se não for para ganhar, ou pelo menos entrava, até ter duas filhas. Suas companheiras de jogatina, Dora e Nina, têm ensinado muito a sua mãe. A nerdice de Mariana começou quando descobriu o seriado Arquivo X em 1994, que abriu portas para outros universos, como Star Trek, Stargate e Farscape, participou e organizou diversos eventos sobre o assunto. Outros interesses: seriados de TV, ficção científica, ler, ouvir Bossa Nova, Heavy Metal, Rock’nRoll e esportes coletivos, como futebol (torcedora fanática do Guarani) e handball.

12 COMENTÁRIOS

  1. como sempre, ótimo texto. já estou fazendo minha lista para jogar com meu filho, que ainda está com 7 meses… =D

    só uma sugestão: creio que seria interessante colocar algumas ressalvas sobre o tema de cada jogo, pois alguns – como o ‘elder signs’ ou o ‘zombie dice’, por exemplo – podem ser “ofensivos” para algumas famílias que não queiram levar certas temáticas para os filhos(as). nunca se sabe, né? =]

    abraço!

  2. Obrigada, Nielison! Que bom que gostou do texto. Vou levar em conta nas próximas vezes sobre a questão do tema dos jogos. Como eu acredito que a maior parte das pessoas que lêem o Meeple Maniacs já tem contato com os jogos, nem pensei nessa possibilidade.
    Em breve vem ai a segunda parte do texto!!

    Abraço!

  3. Oi Maruiana

    voce conhece o munckin? tambem é da galapagos.

  4. Olá Andreia. Conheço bem o Munchkin. Uma época jogamos muito entre meus amigos. Com as minhas filhas ainda não joguei por algumas razões. Primeiro que minhas cópias são em inglês. Segundo que o Munchkin gera muita treta, alianças de dois ou três contra um ou dois etc. Isso não daria certo aqui, pelo menos não na idade delas. E eu ficaria sempre na berlinda. Em jogos de muito menos treta eu já fico, imagina em Munchkin! Mas realmente eu podia ter colocado na lista para quem vai jogar com crianças mais velhas ou adolescentes.
    Obrigada pela lembrança!

    Mariana

  5. Oi Mariana, obrigada pela resposta…
    meu filho tem 9 anos e nunca teve contato com esse tipo de jogo. Ele adora monopoly e joga direitinho..
    Mas queria algo mais interessante, digamos assim. rs
    Estou bem inclinada nesse King of Tokyo.
    A principio seriamos 3 a jogar, mas pode se estender por mais 2.

    Beijocas e obrigada

    Andreia

  6. Andreia,

    King of Tokio é uma ótima pedida. Aqui faz muito sucesso. Outro dia mesmo a minha filha me pediu para jogar. Se você tiver oportunidade de jogar/comprar, os que eu mais indico para jogar com as crianças (que foram os que eu joguei com as minhas) são Ticket To Ride, 7 Wonders e Carcassonne. Jogos de carta fazem bastante sucesso também, como o Encantados e o Love Letter.

    Dos jogos tradicionais, elas gostavam de jogar o Clue Jr. É bem legal também, e uma ótima introdução para depois jogar jogos de dedução mais complicados como o Mystery of the Abbey (esse não foi lançado no Brasil).

    Mariana

  7. Eu fui na Livraria cultura hoje e me indicaram um que dizem qeu é beeeeem legal Mice and Mystic… mas é carinho…
    Eu to pensando no king of tokio que vc falou … Esse ticket to ride, nao sei se é bem a praia dele.. ele adora essas coisas mais “diferentes” rsrsrsrss

  8. Eu joguei o Mice and Mystics uma vez, mas com meus amigos. Realmente ele pode ser interessante para jogar com crianças, por causa do tema. Mas você precisa pesar duas coisas:
    – Jogo cooperativo – pode ser ótimo para quebrar a questão de se ter um vencedor. Todos tem que trabalhar juntos para vencer. Por outro lado, a tendência é o adulto comandar o jogo e a criança ser um coadjuvante. Não é fácil balancear o quanto a gente coloca da nossa opinião. Já joguei alguns cooperativos com as minhas filhas, como Flashpoint, Lord of the Rings, Pandemic, Castle Panic. Todas as partidas foram ótimas, mas eu ainda acabo comandando muito o andamento do jogo.
    – Contação de história – o jogo é como uma história, e os jogadores assumem o papel de ratinhos que tem missões a cumprir. O jogo pode ser um pouco arrastado, pois o interessante dele é justamente a ambientação, com as histórias. Você precisa ver se esse tipo de jogo agrada vocês.
    E realmente ele não é um jogo barato. Fique de olho na Ludopédia. As vezes aparece alguém vendendo uma cópia usada por um preço mais baixo.

  9. Marina.. to amando conversar com vc.
    meu filho é do tipo que adora uma magia, algo diferente que ele possa entrar num enredo ludico, diferente do dia a dia..
    tem 9 anos e adora essas coisas de inventar historias… ama desenhar, ama fazer as coisas serem mais “fantasiosas”

    Quero um jogo que ele tenha esse interesse.

  10. AMEI! Aqui jogamos o preferido é Sim, mestre das trevas. Jogam dixit e dobble. è um momento bem legal, já que não temos mais este hábito de jogar em família. E as crianças, no começo ansiosas, achavam chato (acostumadas com vídeo games). A melhora que eles tem na paciência e imaginação é incrível!

  11. Que bom que gostou, Elisa!! Ultimamente está sendo uma briga aqui em casa conseguir tirá-las da frente da TV, tablet, celular. Mas de vez em quando conseguimos jogar, e as meninas curtem muito.

Deixe um Comentário